quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Fera

Jim Lee
ALTER EGO: Henry "Hank" Peter McCoy

NOME ORIGINAL: Beast

EPÍTETOS: "Doutor"

ORIGEM
O envolvimento inoportuno de Norton McCoy num acidente nuclear de circunstâncias indeterminadas resultou numa sobrevivência aparentemente sem sequelas. Já seu filho, Henry, nasceu com imensas extremidades podais com características preênseis.

Na puberdade, Henry demonstrou uma destreza atlética que excedia em muito os padrões estabelecidos, com potência inigualável. Realizou grandes feitos esportivos sem negligenciar suas buscas intelectuais, especializando-se em estudos científicos. Em vez de ser vítima de suas condições físicas, como acontece na maioria das escolas, Hank se superou: tornou-se o astro do time de futebol americano e o primeiro aluno da escola em termos acadêmicos.

Quando uma gangue tentou assaltar a bilheteria de uma das partidas, Hank fez uso de suas proezas atléticas para impedi-la. O triunfo do rapaz foi observado pelo vilão El Conquistador que considerou usar as habilidades de Hank em sua gangue e, para isso, sequestrou os pais do rapaz, obrigando-o a invadir uma instalação do governo para roubar um aparelho que amplificaria sua arma de raios elétricos.

O Professor Xavier já havia estabelecido sua Escola para Jovens Superdotados em Westchester, Nova York. Com ajuda de um computador de rastreamento mutante, Xavier identificou Hank e mandou seus três alunos - Scott (Ciclope), Warren (Anjo) e Robert (Homem de Gelo) - para recrutá-lo. Com ajuda dos três, Hank conseguiu salvar seus pais antes que o vilão morresse sobrecarregado em sua própria arma. No fim, o rapaz acabou conversando com sua família e aceitou estudar na escola de Xavier, tornando-se o Fera.

Depois de muitas aventuras ao lado dos X-Men, Henry deixou o grupo para concluir seu doutorado em Bioquímica. Foi rapidamente contratado pela Corporação Brand para investigar mutações genéticas. Uma de suas muitas descobertas foi um soro capaz de ativar mutações latentes não-ativadas. Quando descobriu criminosos infiltrados, Henry tomou o soro e passou por uma nova mutação: ganhou garras e dentes afiados e pelos cinza escuro por todo o corpo. Perturbado com sua nova aparência, deu um tempo para refletir.

Já conformado e seguro de sua condição, Hank tornou-se uma pessoa bem-humorada e acabou se juntando aos Vingadores ao lado de seu grande amigo Magnum. Após muitas aventuras, Fera se juntou a seus antigos amigos, Anjo e Homem de Gelo, na superequipe Defensores, que quase acabou de forma trágica.

Karl Maddicks, ex-colega de Hank na Corporação Brand, sequestrou o herói para testar uma fórmula que iria restaurar a humanidade de seu filho. Acabou que Hank recuperou sua forma humana e voltou para os X-Men, que passou a se chamar X-Factor para ações mais ativas em esconder mutantes perseguidos pela humanidade. Infelizmente, Hank foi infectado por um mutante chamado Pestilência que lhe transmitiu uma doença degenerativa que diminuía seu intelecto sempre que usava sua força mutante. Já quase retardado, Hank foi atacado novamente por uma mulher chamada Infectia, cujo beijo era capaz de deixar humanos sob seu controle, alterando a estrutura molecular, e acabou recuperando não só seu intelecto, mas sua aparência bestial. De volta aos X-Men, Fera passou a usar muito mais suas capacidades intelectuais.

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS: Com mãos e pés grandes. Henry possuía uma aparência normal com cabelos castanhos, 1,80m e 161kg de força. Ao tomar um produto químico que amplificou sua mutação original, ganhou pelos azuis por todo o corpo, dentes afiados e orelhas pontudas. Uma mutação secundária induzida pela mutante Sábia fez com que sua aparência ganhasse contornos felinos. E parece que sua mutação contínua em progresso, deixando-o cada vez mais bestial.

PODERES: Atleta desde sempre, Hank é um grande ginasta, acima das proezas olímpicas. Além de seu intelecto acima do genial e de seu phD em Bioquímica e Genética, possui força, agilidade e velocidade sobre-humanas (capaz de levantar quase uma tonelada e saltar cinco metros de altura), olfato e paladar amplificados, e visão noturna. Também ganhou uma glândula que esconde feromônios para atrair um indivíduo. Pode escrever tanto com suas duas mãos quanto com seus dois pés. Possui um fator de cura duas vezes mais rápida do que a de um ser humano normal.

ARMAS E ACESSÓRIOS: Pode aparecer usando alguns aparelhos tecnológicos criados por ele.

FRAQUEZAS:

AFILIAÇÕES: Norton McCoy (pai), Edna McCoy (mãe) e Robert (tio)

GRUPOS: X-Men (atual), X-Factor, Vingadores, Defensores e E.S.P.A.D.A.

CRIAÇÃO: Stan Lee e Jack Kirby, em setembro de 1963
PRIMEIRA APARIÇÃO: X-Men (vol. 1) #1

OUTRAS MÍDIAS:
  • No último filme da trilogia inicial dos X-Men (X-Men: O confronto final, 2006), o Fera foi personificado por Kelsey Grammer. Em 2014, o ator repetiu brevemente o papel em X-Men: Dias de um futuro esquecido. A versão jovem foi interpretada por Nicholas Hoult na nova trilogia X.

CURIOSIDADES:
  • A famosa pelagem azul do Fera não é original. Inicialmente, Hank ganhou pelos acinzentados após tomar o soro. Com o tempo, a cor foi escurecendo para preto. A impressão do preto precisava de tons azuis para dar contorno e sombreado, o que levou o personagem a adquirir - com o tempo - sua cor azul definitiva.
  • Fera já teve uma "aluna": a jovem Patsy Walker tornou-se a Felina e foi treinada por ele.
  • Durante muito tempo, Hank namorou a repórter Trish Tilby. Ela aguentou todas as transformações de homem para fera azul, mas quando ele ficou felinesco, Trish não suportou. Fera chegou a dizer que era homossexual só para facilitar a decisão da repórter.

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Ressignificar para não morrer

Pense que os blogs surgiram com a ideia de serem diários online, onde as pessoas compartilhavam suas vidas, pensamentos... bom... já perceberam que isso agora é feito em outro lugar, né? As redes sociais mudaram (reduziram) a forma de comunicação via web... os blogs passaram para 140 caracteres em tweets e agora são imagens no Instagram. Ninguém mais tem tempo (ou vontade) para ler um texto na internet que não seja algo informacional e necessário (ou fofoca, é claro).

Só que eu também não tenho mais tempo de escrever um texto significativo para internet. Ainda mais para uma internet que parece exigir interação em um espaço de relacionamento quase nulo. Quem lê o que escrevo? Vira esquizofrenia ou egocentrismo...

Dessa forma, preciso ressignificar esse espaço agora que já tem 10 anos "no ar". Tem muita informação bacana que consegui colocar aqui, porém, já estão datadas e isso é a morte na web. Coisa velha não dura. Vivemos a Era do Agora (ou de coisas antigas que voltam pra assombrar sem ninguém se ligar na data). Aos poucos, então, farei uma limpa, uma atualizada. Avisarei das coisas bacanas que já foram escritas numa tentativa de otimizar e - como eu já disse - ressignificar isso aqui.

Vamos ver o quanto dura.

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Mulher-Maravilha

George Pérez
ALTER EGO: Diana

NOME ORIGINAL: Wonder Woman

OUTROS NOMES: Agente especial Diana Prince, Suprema (nome original), Super Mulher (tradução brasileira errada) e Miss América (tradução brasileira errada).

EPÍTETOS: "Primeira heroína da DC Comics", "A princesa do poder" e "Princesa Amazona"

ORIGEM
(Versão Original) Muitos anos atrás, uma jovem piloto de testes norte-americana chamada Diana Trevor caiu em uma Themyscira (também chamada de Ilha Paraíso), uma ilha remota que é o lar da raça guerreira conhecida como Amazonas. Algum tempo depois, quando um monstro chamado Cottus ameaçou a ilha, Diana usou o que havia restado das armas de seu avião para proteger as novas amigas e acabou dando sua vida por elas. Hipólita, a rainha das Amazonas, nunca se esqueceu do sacrifício da piloto, lembrando-se para sempre do nome dela.

Hipólita ansiava por uma filha e, seguido as tradições de seu povo, modelou a forma de um bebê a partir do barro. Dotada de poderes concedidos pelos deuses por meio de orações, a estátua ganhou vida na forma de uma criancinha. Feliz, Hipólita chamou-a de Diana em homenagem à deusa e à piloto que salvara Themyscira anos antes.

A rainha supervisionou o ensino e a criação da filha, auxiliada por muitas de suas irmãs amazonas. Todas queriam fazer parte da criação da princesa, a primeira criança gerada na ilha. Elas ensinaram não só a cultura, como também seus segredos de combate. Embora fosse muito protetora, Hipólita queria que um dia Diana estivesse preparada para encarar o mundo que a cercava com a força e a graça das Amazonas.

Ares, o deus grego da guerra, tentava conquistar a humanidade regularmente, e empreendia outros atos de agressão contra a raça de guerreiras. Para proteger e defender os humanos, Hipólita conclamou uma nova campeã. Esta escolhida deveria ser a primeira frente de defesa contra Ares e seus filhos, e vestir um uniforme inspirado nas marcas da antiga aeronave de Diana Trevor. Disposta a proteger sua filha de ser ferida, a rainha proibiu a jovem de participar da disputa que apontaria a campeã. Diana, então, se disfarçou e venceu o torneio com facilidade, tornando-se a Campeã das Amazonas. Forçada a aceitar a decisão da filha, Hipólita presenteou-a com os Braceletes Prateados e o Laço Dourado da Verdade para sua proteção. Com tais posses, Diana virou a Mulher-Maravilha

*****
(Renascimento por Pérez) As amazonas eram reencarnações de mulheres assassinadas na pré-história, a benção dada pelos deuses para que isso fosse possível, não serviu ao propósito esperado mas, ainda assim, elas tiveram mais uma chance. Do barro Hipólita moldou a sua filha, a filha que estava em seu ventre quando fora assassinada na Idade Média. Assim, os deuses permitiram que a última alma levada pudesse ter a sua vida e a abençoaram a tornando mais poderosa ao que costumava ser.

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS: Basicamente, a Mulher-Maravilha é uma mulher caucasiana de cabelos pretos longos (os quais já foram cacheados e lisos), usando uma tiara dourada com uma estrela, um traje que combina bustiê vermelho com uma águia dourada como símbolo (sendo substituída por um duplo "W" nos anos 1980 até então), short azul com estrelas brancas e botas de cano longo vermelhas. Depois da guerra civil em que sua mãe foi deposta do trono das Amazonas, a Mulher-Maravilha deixou de usar a tiara.

PODERES: Diana foi treinada para controlar o uso de seus poderes por Hipólita e a general amazona Phillipus. É dito que ela tem a força de Hércules, a sabedoria de Atena, a beleza de Afrodite e a velocidade de Hermes. Entre várias habilidades, podemos citar:
  • Força física sobre-humana, sendo considerada a personagem feminina mais forte das HQs.
  • Invulnerabilidade corporal sobre-humana, sendo dotada de uma altíssima resistência a ataques tanto físicos como mágicos. Sua tolerância à dor, também, foi adquirida graças aos intensos treinamentos como amazona. Ela também possui um regeneração curativa espontânea que gera dúvidas sobre imortalidade e retardo do envelhecimento.
  • Capacidade de voo (no início, ela só planava), podendo, atualmente, atingir velocidade supersônica.
  • Velocidade sobre-humana, que também amplifica sua agilidade e seus reflexos.
  • Audição sobre-humanas
  • Ela pode se comunicar com muitas espécies de animais, e sua simples presença, por vezes, traz calma empática para as mais ferozes criaturas.
  • Imunidade à Ilusões e Controles Mentais.
  • É um omni-linguista: capaz de falar todas as línguas existentes
  • Também é treinada em todas as habilidades de luta armada e desarmada da antiga Grécia, tornando-se uma exímia estrategista e mestre em combate corpo-a-corpo. Possui extensa habilidade com armas de combate e conhecimentos de aviação.

ARMAS E ACESSÓRIOS
São dois os principais acessórios da Mulher-Maravilha: o Laço Dourado da Verdade e os Braceletes Pateados. Seu famoso laço faz bem mais do que laçar e segurar ladrões em fuga. Feito de pequenos elos de corrente, o laço foi forjado a partir do cinturão de Gaia e presenteado a Diana pela deusa Héstia. Virtualmente indestrutível e de comprimento ilimitado, a maioria daqueles que são atados por ele – deuses ou mortais – são compelidos a falar a verdade. Poucos conseguem resistir ao seu controle. Em histórias posteriores, foi explicado que este laço é um símbolo da verdade em nosso mundo, cabendo à heroína, portanto, o papel de guardiã da verdade.

Os braceletes são uma lembrança simbólica da escravidão que seu povo sofreu no passado, algo que elas jamais permitirão que ocorra novamente. Os que são utilizados por Diana foram forjados a partir do Escudo de Zeus e, por essa razão, são indestrutíveis.

Diana também utiliza uma tiara com bordas cortantes que pode ser lançada como um bumerangue. Além disso tem acesso ao arsenal das Amazonas, que consiste em machados, espadas, escudos e numa belíssima armadura de guerra inspirada numa águia.

Por um determinado tempo, Diana usou um avião invisível para se locomover por grandes distâncias. No início, a Mulher-Maravilha possuía um avião invisível feito do metal fictício Amazonium (pois ela não voava). Aos poucos foi sendo retirado das histórias, mas seu uso destacado na TV, fez com que ele fosse reutilizado. Com a versão da Mulher-Maravilha de George Pérez, foi estabelecido que ela pode voar com seus próprios poderes e o avião foi descartado. Recentemente, o avião foi reintegrado a cronologia, sendo um dote da raça dos aliens lansiranianos.

FRAQUEZAS:

AFILIAÇÕES: Rainha Hipólita (mãe)

GRUPOS: Liga da Justiça, Sociedade da Justiça, Departamento de Meta-Humanos e Amazonas

CRIAÇÃO: William Moulton Marston (sob o pseudônimo Charles Moulton), em 1941, possivelmente inspirado por sua mulher, Elizabeth, e sua amante, Olive.
PRIMEIRA APARIÇÃO: All Star Comics #8 (1941)

OUTRAS MÍDIAS:
  • A primeira tentativa de produzir um programa de TV sobre a heroína foi em 1967, com o curta-metragem Wonder Woman: Who's afraid of Diana Prince?, protagonizado por Ellie Walker. Apesar do tom cômico, o uniforme era bem fiel aos quadrinhos da época.
  • Em 1974, foi produzido pela ABC o telefilme Wonder Woman para testar a audiência para uma série. A ex-tenista, Cathy Lee Crosby ficou com o papel, mas a série não vingou por divergências com os quadrinhos.
  • De 1975 a 1979, Lynda Carter foi a heroína na série de TV Wonder Woman, da CBS, por três temporadas e 59 episódios. A identidade de Diana Pince saiu da TV para os quadrinhos. O icônico giro de transformação foi sugestão de Lynda pela dificuldade de efeitos especiais.
  • Adrianne Palicki gravou um piloto para uma nova série de TV em 2011, mas não foi aprovado.
  • Em 2009, a DC lançou a animação "Mulher-Maravilha", mas, na década de 1970, a personagem era recorrente na animação seriada Superfriends (Superamigos, no Brasil).
  • Em 2007, tentaram fazer um filme, mas o roteiro nunca foi aprovado. Em 2016, a heroína apareceu no filme Batman vs. Superman: Dawn of Justice, sendo encarnada pela modelo Miss Israel 2004 Gal Gadot. Em junho de 2017, a atriz protagonizou o primeiro filme de uma super-heroína de quadrinhos e estabeleceu recordes de bilheteria. Em dezembro, participou do filme da Justice League.
  • Também em 2017 foi lançado o filme Professor Marston & The Wonder Women contando a história da criação da heroína. Luke Evans é William Marston, Rebecca Hall é Elizabeth e Bella Heathcote é Olive Byrne.

CURIOSIDADES:
  • William Marston era um psicólogo envolvido com os ideais do feminismo. Junto com sua esposa Elizabeth, criou um protótipo do polígrafo (detector de mentiras), mas não foi patenteado. O laço da verdade é uma alusão ao polígrafo.
  • Apesar de ser um dos maiores ícones pop do sexo feminino, a Mulher-Maravilha sofre constantemente questionamentos por suas atitudes e, principalmente, por sua vestimenta. Na década de 30, teve revistas queimadas e críticas relacionadas à perversão, lesbianismo, tortura e sadomasoquismo (entenda um pouco aqui) de suas histórias.
  • Faz parte da Trindade da DC Comics, equilibrando Superman e Batman.
  • Por um período, Diana foi substituída pela amazona Ártemis. Seus acessórios eram os braceletes de Atlas e as sandálias de Hermes para simular os poderes da Mulher-Maravilha. Ela empunhava o arco e flecha.
  • Seus braceletes são feitos de amazonium, material tido como indestrutível. Ainda assim, os acessórios foram destroçados pelo Superman. Na série de TV, os braceletes eram feitos de feminium.
  • Peter Marston, filho de William, montou o Museu da Mulher-Maravilha em sua casa, em Connecticut (EUA).
  • Dia 26 de outubro é o Dia da Mulher-Maravilha em Portland (Oregon, EUA) e Fleming (New Jersey, EUA). Trata-se de um evento criado pela escritora Andy Mangels para arrecadar fundos para ações contra a violência doméstica.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Menos um...

É... tô ficando velho e não tô dando mais conta de um monte de blog, freelancer e projeto pessoal ao mesmo tempo. O primeiro blog a sair (parcialmente) de cena foi o H+Min+Sec. Disse parcialmente porque ele continua lá com as antigas postagens e, de vez em quando, eu atualizo algumas informações. Porém, ele está de vento em popa no Facebook com compartilhamento de postagens do blog e novidades de várias marcas de relógio nacionais e internacionais.

Agora quem sai de cena é o Superpersonagens, que, na verdade, nunca engrenou. A ideia era fazer uma enciclopedia virtual dos super-heróis da Marvel e da DC de forma mais simples para que todo mundo pudesse entender o mínimo sobre os personagens. No fundo, no fundo... eu não queria parar, mas realmente não dá. Para não perder o que foi feito, vou aos poucos transferindo o que tinha lá para cá. Caso eu decida continuar, será por aqui.

Aos seguidores do Mito+Graphos, tranquilizem-se: esse não sairá do ar NUNCA! Esse é xodó. Vai devagar e sempre! Tem Facebook também!

E, assim, sigo o lema deste blog... deixo fluir as energias. 😉

domingo, 15 de julho de 2018

COPA 2018: Allez les bleus!


No primeiro tempo, só deu Croácia. A França parecia meio acuada (ou em estratégia de cansar o já cansado adversário) e não conseguia armar suas jogadas frente aos croatas famintos. Acontece que essa mesma fome, deu a vitória parcial aos franceses, considerando que, o primeiro gol foi contra, o segundo foi um golaço e o terceiro foi um pênalti de vídeo.

No segundo tempo, a França acordou e fez logo dois gols pra colocar a mão na taça. Até que o bom goleiro Lloris resolveu colocar os croatas de volta ao jogo com um erro de soberba. Aliás... quanto erro bobo numa final! É gol contra, mão na área, goleiro tentando driblar e tomando gol... Seria nervosismo? Ou um questionamento sobre a real qualidade dessa Copa? Mesmo se tirássemos esses erros, a França levava o bicampeonato por 2 a 1.

À Croácia fica a excelente campanha, a raça, a vontade, o controle, o incrível preparo físico e a presença das mulheres em papéis políticos não só no futebol mas como uma presidente digna que não gasta dinheiro público. Enquanto a França, além da Copa, mostrou para o mundo um futebol eficiente e IMIGRANTE.


Muito foi ensinado nessa copa... que não há favorito, que não há fronteiras, que o futebol é mais do que um monte de homem correndo atrás de um bola. Vamos ver como será no Qatar... uma Copa com muito mais problema político internacional e que deverá ser no fim do ano por conta do clima. Ao Brasil (que deve ter ficado em 6º por pontuação), resta iniciar o novo ciclo de quatro anos, revendo sua atitude dentro e fora de campo.